Inovações em datacenter para 2014

A crescente demanda por armazenamento e segurança das informações corporativas, exige reformulação dos ambientes, principalmente de datacenter, e o rápido avanço da tecnologia atende esta necessidade com soluções cloud robustas e abrangentes.

As empresas dependem cada vez mais de sua capacidade computacional para tocar seus negócios e, ao passo que a TI busca redução de custos, ela deve garantir uma infraestrutura estável e escalável capaz de acompanhar o dinamismo dos negócios que só tende a crescer.

“O grupo Gartner prevê um crescimento do volume de dados de até 800%, em cinco anos, sendo que 80% serão dados não estruturados”

A busca por aplicações web, especialmente soluções em cloud, tem sido cada vez maior por parte das PMEs, já as grandes empresas procuram cada vez mais por soluções de hospedagem de equipamentos, monitoramento e gerenciamento de aplicações como backup, storage e outros. Dentro deste cenário, podemos citar como a primeira grande tendência a solução de datacenter em container.

O datacenter em container é uma solução para grandes empresas, como construtoras e mineradoras, que precisam de uma central de dados disponível em local onde não há um prédio ou estrutura adequada para construí-la. Apesar de apresentar um custo 15% maior do que uma central tradicional, o datacenter em container provê economia, mobilidade, ocupa 50% menos espaço e pode começar a funcionar em apenas 14 semanas após o pedido.

“Algumas empresas de mídia, por exemplo, que virão ao Brasil para a transmissão dos eventos podem usar um datacenter portátil na Copa e depois reutilizá-lo nas Olimpíadas”

O cloud computing, além de já fazer parte da rotina da maioria das empresas, é uma das mais profundas e importantes tendências da TI. A nuvem ocupa um espaço cada vez maior e assume um papel cada vez mais importante no datacenter e possivelmente irá se tornar a maneira padrão de entrega de operações.

Falando em nuvem, os ambientes cloud públicos, privados e híbridos tendem a tornarem-se dinâmicos e abrangerem múltiplos fornecedores. Isto permite que a empresa avalie e selecione as ofertas mais viáveis economicamente de acordo com cada fornecedor para atender uma necessidade específica.

A segurança da informação voltada para o suporte das operações críticas de negócios, provoca um impacto muito grande quando a estrutura das informações falha, principalmente no Brasil, pois é um país carente de infraestrutura de “disaster recovery”. Devido principalmente ao seu clima quente, os datacenters consomem muito mais energia e como o preço da mesma é alto, acarreta em uma alta carga tributária.

A conferência Gartner infraestrutura de TI, operações e datacenter – que aconteceu nos dias 1 e 2 de abril em São Paulo – teve como um dos principais enfoques o Datacenter Inteligente. Muito irá se ouvir falar sobre esta tendência constituída por uma topologia global e um modelo dinâmico baseado em necessidades e requisitos de negócios capaz de sintetizar a enorme quantidade de informações digitais.

“O Gartner sinaliza expansão do segmento, impulsionado principalmente pelas ofertas de cloud computing, que prometem deslanchar no Brasil a partir do segundo semestre.”

Enfim, para acompanhar o crescimento desta demanda de maneira eficaz, é necessário planejamento. Para utilizar um datacenter da nova geração é essencial estabelecer um projeto equilibrado, com nada mais, nada menos do que o seu negócio precisa e com altos níveis de flexibilidade e adaptação. Segundo o Gartner, em 2016, através da união da virtualização ao cloud computing, 60% dos novos datacenters serão 40% menores e suportarão uma carga de trabalho 300% maior, e como isto é uma tendência, a expectativa é que estes números sejam superados no futuro.